Manoel Seixas

Todos sabem que não é do meu feitio dourar a pílula, exaltar em demasia rasgados elogios a um ser mortal,  mas como toda regra há exceção, é claro que vou emitir minha opinião de conformidade com o meu raciocínio realístico.

Aí, evidentemente, entra em cena um ilustre personagem jaguariunense, que nas águas lustrais do batismo, recebeu o nome de Tomaz Aquino Pires. O qual se destacou na administração anterior a debruçar sobre sua mesa de trabalho e por conseguinte o prefeito atual se designa mantê-lo a frente da Casa da Memória Padre Gomes, onde se guarda hoje, em indelével recordação, seu excepcional trabalho, envolvendo o acervo fotográfico do nosso saudoso Lebrão, cujo título se aflora: Jaguariúna, através das fotos de Lebrão, levado a efeito no dia 19 de novembro de 2016.

Atitude digna de registro porque na verdade premia o nosso querido “Tigrão” (como era também conhecido por alguns amigos mais íntimos) que através da sua ótica e da sua lente, registrou, através dos tempos, momentos festivos e lugares inesquecíveis da sua querida Jaguariúna.

Lebrão, por onde passou fez a história acontecer, por esta razão, sua memória jamais será olvidada, esquecida e sepultada à sombra do esquecimento.

Já com referência ao professor Tomaz de Aquino Pires, à testa da Casa da Memória Padre Gomez, dir-se-á tratar-se de um pesquisador nato e carismático, que sempre se inspirou na veracidade dos fatos, nas tradições orais e escritas e no avanço tecnológico de ponta da internet.

Tais obras expostas na referida galeria é colírio para os olhos e melodia para os, ouvidos, tal a magnificência e sutileza de cada acervo histórico em si.